Como prevenir doenças respiratórias nas crianças

 

Inverno, uma estação marcada pelas baixas e repentinas mudanças de temperaturas e clima seco. É nesta época do ano que começam a aparecer com mais frequência doenças respiratórias tais como: resfriado, gripe, sinusite, asma, bronquiolite e pneumonia. As crianças são as que mais sofrem, por isso os pais precisam estar atentos e tomar algumas medidas básicas e cuidados especiais.

 

DICAS DE PREVENÇÃO

 

1) Evite levar seu filho para lugares onde há aglomerações de pessoas e/ou pouca ventilação. Principalmente as crianças pequenas (menos de quatro meses);

 

2) Deixe sempre a casa arejada e limpa, em especial o quarto da criança. Evite varrer, prefira usar o aspirador de pó ou um pano úmido;

 

3) Mantenha a vacinação do seu filho em dia;

 

4) Não fume dentro de casa. A fumaça de cigarros contribui para a irritação das vias respiratórias nas crianças;

 

5) Mantenha o nariz do seu filho sempre bem limpo e desobstruído para evitar infecções e crises de alergia. Faça lavagens nasais com soro fisiológico;

 

6) Evite que seu filho brinque com brinquedos de pelúcias. Estes objetos acumulam pó e ácaros, que podem potencializar alergias respiratórias;

 

7) A amamentação para os pequenos é essencial, visto que o leite materno contém anticorpos importantes para o bebê. A hidratação reforçada com água e sucos também é recomendada;

 

8) Se seu filho tiver histórico de alergias respiratórias, evite usar produtos de limpeza com cheiros muito fortes, assim como cosméticos e perfumes;

 

9) Ensine e estimule seu filho, desde pequeno, a lavar bem as mãos. Ao tossir, espirrar e assoar o nariz, os vírus e bactérias presentes no nariz e boca se deslocam para as mãos;

 

10) Caso seu filho esteja resfriado ou com gripe, não leve ele para escola ou creche. É importante que ele fique em casa em recuperação e, também, para não transmitir o vírus para outras crianças.

 

 

Por fim, ao primeiro sinal de qualquer sintoma de problema respiratório (febre alta, dor no corpo, fadiga, dor de ouvido, dor de garganta, tosse e dor de cabeça) o médico/pediatra deve ser consultado.